A morte é um mistério para a ciência. Não se sabe ainda o que acontece após a morte, para onde vão os espíritos, se existe vida após a morte, dentre outras coisas. Porém, algumas descobertas interessantes da ciência vão te deixar de cabelo em pé. Confira:

Carne humana em decomposição tem cheiro “doce”

Segundo um estudo feito por cientistas da Universidade de Leuven, na Bélgica, os cadáveres humanos liberam compostos orgânicos que também são produzidos por frutas, particularmente quando elas apodrecem. Por isso, cadáveres humanos desprendem um odor adocicado.

carne humana

Unhas e pelos não continuam a crescer

Se você já ouviu dizer que pelos e unhas continuam a crescer após a morte, desconsidere.

Na verdade, o que acontece é que devido à desidratação do corpo após a morte, a pele ao redor da unha se retrai. Isso faz com que ela pareça mais longa do que é. O tamanho continua o mesmo.

A explicação do “crescimento” do pelo também é simples: a pele do queixo de uma pessoa morta também resseca, fazendo com que ele fique afundado e os pelos da face pareçam mais proeminentes.

unhas

O medo da morte diminui com a idade

Pessoas entre 60 e 70 anos expressam menos medo da morte do que adultos entre 40 e 50 anos. Conforme o estudo, os indivíduos do segundo grupo são mais amedrontados pela morte devido, principalmente, à crise de meia-idade.

morte2

Pensar sobre a morte torna você preconceituoso

200 estudos realizados ao longo de 25 anos revelaram que pensar sobre a morte torna as pessoas mais preconceituosas.

Os resultados revelaram que indivíduos com pensamentos mórbidos são mais tolerantes com racistas, mais severos com prostitutas, menos favoráveis aos direitos LGBT e ainda menos dispostos a consumir produtos estrangeiros.

No entanto, pensar sobre a morte também faz os indivíduos terem vontade de ter filhos e nomeá-los com seus próprios nomes. Isso significa que as pessoas querem se manter vivas simbolicamente, através de seus filhos.