Não existe há limites para a nossa imaginação, certo? Bem, as descobertas espaciais que vamos aprensentar para vocês desafiam os limites do pensávamos ou imaginavamos ser possível. Algumas descobertas espaciais neste artigo foram encontradas por acidente, o que significa que as nossas pequenas mentes débeis nuca teriam noção de sua existência. Preparem-se, estas são as maiores descobertas do espaço.

Boa leitura!

Reservatório de água gigante

574348main_universe20110722-43_full-610x457

Enquanto os astrônomos tinham suspeitas que poderiam haver grandes quantidades de água no espaço exterior, em 2011, eles ficaram chocados ao descobrir uma enorme nuvem de vapor de água localizada cerca de 10 bilhões de anos-luz da Terra. Flutuando em torno de um buraco negro, a nuvem armazena cerca de 140 trilhões de vezes a massa de água encontrada em todos os oceanos da terra.

Nossa galáxia está coberta de gás quente

24-Wide_Field_Imager-610x438

O Observatório Chandra X-Ray da NASA descobriu recentemente que nossa galáxia fica no centro de um imenso halo de gás quente que se estende por centenas de milhares de anos-luz. Queimando a uma temperatura de Kelvin 1-2.500.000.

Mundo de gelo quente

Gliese436b-610x390

Em maio de 2007, uma equipe de astrônomos belgas anunciou a descoberta de um planeta estranho coberto de água quente, porém sólido. Oficialmente conhecido como Gliese 436 b, este é um exoplaneta do tamanho de Netuno que orbita a anã vermelha Gliese 436. Embora a temperatura do Planeta atinja 439 graus celsius, a sua superfície aquosa não evapora. Em vez disso, forma-se uma espécie de gelo no local.

Planeta Misterioso

22-Artist’s_impression_of_Corot-7b-610x423

Apelidado de “The Hell Planet” por seu alto teor de queima de lava o Kepler-78 b é um exoplaneta que foi descoberto em 2013. O mistério deste planeta refere-se a sua origem, os astrônomos não têm idéia de como um planeta tão pequeno, apenas 20% maior que a Terra, poderia ter evoluído tão perto de sua estrela-mãe Kepler-78.

Fluxo enorme de hidrogênio

21-Ngc1316_hst-610x500

Uma equipe internacional de astrônomos em Puerto Rico encontrou hidrogênio atômico com 2,6 milhões de anos-luz de comprimento entre a galáxia NGC 7448, a cerca de 500 milhões de anos-luz de distância. O que faz esta descoberta ser única é o fato de que fluxos de gás ser normalmente encontrados dentro de galáxias, não entre elas.

Luas galileanas

Jupiter_family-610x485

Quando Galileu Galilei, um famoso astrônomo renascentista italiano, voltou sua luneta recém-construída para o céu em 1610, ele não tinha idéia de que ele iria descobrir as quatro maiores luas de Júpiter (agora conhecidas como as luas de Galileu). Na verdade, nenhum cientista havia previsto que os outros planetas também têm as suas próprias luas.

Vácuo gigante

19-BH_LMC-610x452

Também conhecidos como Canes Venatici Supervoid, o Vazio é extremamente grande localizado dentro da constelação de Canes Venatici. A descoberta desse vazio surpreendeu os astrônomos como suas teorias só foram capazes de lidar com menores áreas vazias no espaço. Medindo até 1,3 bilhões de anos-luz de diâmetro, o Vazio Gigante é o maior já detectado.

Urano

Uranus_Earth_size_comparison-610x447

O sétimo planeta a partir do Sol, Urano foi descoberto por acaso. William Herschel, um astrônomo britânico nascido na Alemanha descobriu Urano em março de 1781 enquanto pesquisava estrelas brilhantes e estrelas fracas nas proximidades com o seu novo telescópio.

Primeiro asteróide

Ceres-DwarfPlanet-Dawn-RC3-image19-20150506-610x574

Nomeado Ceres, o primeiro asteróide foi descoberto por um astrônomo italiano Giuseppe Piazzi em Palermo, Sicília, em janeiro de 1801, enquanto Piazzi estava compilando um catálogo de posições de estrelas. Localizado no cinturão de asteróides entre as órbitas de Marte e Júpiter, Ceres foi originalmente considerado um planeta por muitos anos. Hoje em dia, ele é classificado como um planeta anão.

Luzes em Ceres

PIA18920-Ceres-DwarfPlanet-20150219-610x595

Falando sobre Ceres, houve outra descoberta inesperada relacionada a este objeto cósmico. Recentemente, astrônomos da NASA perceberam duas luzes brilhantes em Ceres. Refletindo cerca de 40% da luz que bate nele, eles acreditam ser as áreas de gelo ou sal. Alguns cientistas também sugerem que as luzes possam ter uma origem geológica ou vulcânica.

Quasar Quádruplo

quasar_SDSS_J1106-1939-610x460

Em maio de 2015, os astrônomos descobriram o primeiro quasar quádruplo. Composto por quatro buracos negros raros ativos, localizado em uma estreita proximidade um do outro, o quarteto está rodeado por uma nebulosa gigante de gás frio. De acordo com os astrônomos, a descoberta é uma coincidência de uma em dez milhões, e ela vai fazer-nos repensar os atuais modelos de evolução quasar.

Gigante nuvem de gás

himiko-610x461

Há alguns anos, os astrônomos foram surpreendidos com uma descoberta inesperada de uma grande nuvem de gás misteriosa. Agora conhecido como Himiko, a bolha tem sido identificada como uma nuvem de gás gigante. Com um comprimento de cerca de 55.000 anos luz e uma massa equivalente a cerca de 40 mil milhões a do sol, Himiko é um dos maiores e mais distantes objetos já encontrados no espaço.

Asteróide com anéis

Charikloasteroid-610x464

Em 2014, pela primeira vez, astrônomos descobriram um sistema de anéis em torno de um asteróide. Encontrado em torno de um asteróide chamado Chariklo, os anéis são uma completa surpresa para os cientistas planetários, que não sabem exatamente como tais anéis foram formados. Uma de suas teorias sugere que eles podem ter se formado quando um outro objeto menor se chocou contra a superfície de Chariklo’s, levantando uma enorme quantidade de detritos que se instalou em anéis mantidos no lugar por gravidade.