Sem dúvida, muitos de nós já leram ou viram o filme Alice no País das Maravilhas da história, um conto infantil que de infantil realmente tem muito pouco. Este livro é um grito de perversão e depravação que Lewis Carroll mantém sob um mundo de fantasia e aventura onde tudo está de cabeça para baixo e nada faz sentido.

A verdadeira edição deste conto, possui entre as folhas de suas ilustrações fotografias de meninas em locais escuros, cercados por animais fantásticos e flores vermelhas que já nos dá um enigma que não é exatamente um livro infantil, mas sim um segredo oculto.

foto 1

As aventuras escritas pelo matemático e lógico britânico Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido por seu pseudônimo Lewis Carroll era uma carta ao seu amor eterno, que era apenas uma menina chamada Alice Liddell, a filha de um de seus amigos que costumava passar seu tempo livre junto a ele depois de dar aulas de mestrado em matemática e lógica na faculdade, ou depois de caminhar sozinho pelas ruas escuras de Oxford.

Mas não é só Alicie que foi a musa de suas poesias e histórias fantásticas, mas também outras meninas, que ele gostava de fotografar e escrever uma série de cartas de amor, que brotavam em sua mente desconcertante e perversa, ele tina uma incrível capacidade intelectual superior a maioria dos humanos, mas ao mesmo tempo, tinha uma facilidade para estabelecer excelentes ligações no mundo das crianças, e especialmente com o das meninas.

foto 2

Sua relação com as crianças, que, aparentemente, nunca foram além de imagens em locais escuros, e uma ou duas histórias dedicadas, sempre levantou todos os tipos de incertezas e comentários.

Dentro dos cartões de análises que o escritor e matemático deu as meninas, foi descoberto sua paixão perigosa, que o levou para longe de sua musa principal, Alicie, porque seus pais o proibiram de manter contato com a criança.

O autor foi listado como o primeiro Humbert Humbert pelo mesmo Vladimir Nabokov (autor de Lolita), já que ele estava obcecado a ponto de a pedir em casamento em uma ocasião.

Além disso, todos os tipos de comentário e fofocas foram encontrados no momento em que Carroll começou a ser conhecido como o bacharel eterno de Oxford.

“É um segredo desconhecido de almas frias e cruéis,

mesmo acima os anjos cantam,

com notas claras para os ouvidos que ouvem.

E o nome do segredo é o amor!

Eu acho que é Amor.

Eu sinto que é Amor.

Eu sei que não é nada, mas o amor! “

Estes sentidos e versos reveladoras escritos por Carrol pertencem ao poema “Uma Canção de Amor”, que foram traduzidos e editados por Rachel Lanseros Valparaiso e publicado pela editora na Espanha.

Este poema, como em muitos outros você pode ver o seu fascínio com o ocultismo. Um segredo por trás de um mundo cheio de alegria e fantasia, que oculta o verdadeiro tormento que aflige a grita o seu amor as meninas para os quatro ventos e a impossibilidade de ter esse amor.

foto 3

Mas a verdade é que seu livro se tornou uma das obras literárias infantis mais importantes: “Alice in Wonderland”, que é uma declaração de amor para o mundo.

Nas aventuras da pequena sonhadora e distraída Alice, ela decide seguir o um humano vestido de coelho que pode ver a hora em um relógio de bolso, levando a um mundo onde tudo está de cabeça para baixo, onde tudo é demente e desprovido de lógica racional é o mundo perfeito para não ser desaprovado o fato de que um homem adulto possa ter o amor de uma menina.

Na verdade, em cada um de seus poemas podem se ver repetindo as palavras de verão, fadas e solidão. Que mancha o universo escuro do autor com a beleza e luz, onde ele declara sua vida, cujo manuscrito foi dado a pequena Alice na esperança de que ela pudesse decifrar suas palavras e compreender o significado destes.

“A vida, o que é isso, é um sonho?” Menciona o matemático em um de seus poemas, o que reflete seu desejo de que os seus sonhos perversos e ilógicas se tornar realidade e que sua vida faça sentido, como no complexo mundo de fantasia projetada para Alice e para ele, escondido do resto dos adultos, em um país onde tudo acontece, onde os gatos falam, lagartas fumam e rainhas mancham tudo de sangue, como poderia não ser possível uma relação entre um menina adulta e seu amante?

A loucura de Carroll era maior do que o infinito e a galáxia juntos, por isso inventou mundos em que seus desejos não eram um pecado, deixando pistas que só os mais experientes pudessem decifrar.

O que você acha desta análise? Compartilhe com seus amigos do Facebook!

ImagensNotagram