O amor é considerado o sentimento mais bonito de todos. Ele nos oferece um sentido para a vida e nos torna uma pessoa melhor. No entanto, é interessante saber o que acontece do ponto de vista biológico. Prepare-se, para conhecer as 5 coisas inacreditáveis que o amor faz com o seu cérebro.

Boa leitura!

5. O bombeamento do coração

O bombeamento do coração

Não é uma metáfora quando dizem que o coração bate mais rápido quando estamos apaixonados. Na verdade, o amor produz um maior fluxo de sangue nas áreas do cérebro responsáveis pela produção de prazer. Neurologistas, fizeram tomografias cerebrais em pessoas que estavam namorando a pouco tempo, e encontraram certas regiões do cérebro com um maior fluxo sanguíneo.

4. O amor é como uma droga

O amor é como uma droga

Também muitas vezes usamos a frase “o amor é como uma droga”, ignorando que, fisicamente, isto é uma realidade. Foi comprovado que os sentimentos amorosos causam uma estimulação cerebral parecidas com algumas drogas, como por exemplo a morfina.

3. O amor é um transtorno obsessivo compulsivo

O amor é um transtorno obsessivo compulsivo

Embora o amor pareça ser um sentimento positivo, que promove o bom funcionamento do corpo, ele também pode ser associado com transtornos mentais. Embora em níveis muito baixos, namorar reduz a quantidade de serotonina no cérebro, levando a maior concentração e foco em algum objeto específico. O mesmo acontece em pacientes com comportamentos obsessivo compulsivos.

2. Hormônios rebeldes

Hormônios rebeldes

Do ponto de vista biológico, o amor passa por fases de desejo, atração e afeto. Nas fases iniciais, ele produz um aumento no fluxo de hormônios por todo o corpo. Processos hormonais acabam não seguindo um ritmo organizado e rotineiro inundando o corpo humano com sua intensidade e sensações. Ele secreta dopamina no cérebro. Por esse motivo os amantes se sentem tão animados.

1. O tempo de afeto verdadeiro

O tempo de afeto verdadeiro

Se você já está apaixonado você já passou a fase de desejo e atração, você verá que, na fase seguinte, você começa a sentir afeição verdadeira pela pessoa. O que está acontecendo no cérebro é que os hormônios oxitocina e vasopressina inundaram todo o sistema nervoso, produzindo uma sensação de bem-estar fazendo você se sentir seguro. Isto leva a um vício pelo prazer.