Dentre as perguntas mais intrigantes para os cientistas e para boa parte das pessoas é o que acontece com seu cérebro, momentos antes da sua morte. Aparentemente, experiências de diferentes pacientes revelaram que pouco antes da morte ocorre atividade cerebral, que pode trazer novas informações sobre este instante da vida, tão temido por todos.

Confira:

O cérebro de pacientes terminais antes de morrer

O cérebro de pacientes terminais antes de morrer

Em alguns hospitais no mundo todo, tem sido observado que pacientes com doenças terminais, como câncer ou condições cardíacas agudas, mostram uma estranha e inesperada atividade cerebral , pouco antes da morte.

Há uma explosão de ondas cerebrais, com picos de mesma intensidade e duração.

Algumas pessoas com experiências de quase-morte revelam ter visto uma luz, mas nem todos têm a mesma experiência. O mais comum é que os pacientes digam ter um monte de lembranças em um período muito curto de tempo.

Qual o motivo dessa atividade cerebral antes da morte?

Qual o motivo dessa atividade cerebral antes da morte?

Pensava-se que a causa da atividade cerebral intensa antes da morte era a interferência de diferentes objetos que estavam ligadas no quarto dos pacientes, ou seja, telefones celulares, máquinas  médicas etc. No entanto, fizeram a mesma medição usando um EEG para pessoas que pediram para ser desconectadas de cada instrumento, em espaços onde não há nenhum móvel ou outros acessórios eletrônicos. Porém, o resultado foi o mesmo.

Os cientistas acreditam que a nível celular, uma descarga de neurônios entra em colapso, devido a ausência de pressão arterial e à quantidade de oxigênio que chega ao cérebro.

Efeito dominó no cérebro

Efeito dominó no cérebro

Para os especialistas, pode ser algum tipo de efeito dominó. Pelo fato de não haver nenhum oxigênio, as células nervosas perdem a capacidade de gerar eletricidade. Mas, como elas são uma grande rede onde todas estão interligadas uma por uma, para fazer o “download” das informações. Essa perda da capacidade de gerar energia, causa um colapso no sistema nervoso central, com a  ausência das informações que foram deixadas de serem enviadas.