Muitos alunos já chegam na escola contando as horas para voltarem para casa ou então para saírem para o intervalo e ter um tempo daquela massante sala de aula em que temos de sentar em carteiras ruins e ficar olhando para um quadro um quadro negro enquanto algumas vezes até “pescamos” e tiramos um cochilo, mas isso tudo muda de figura quando as escolas são as que mostraremos a seguir. Confira:

Escola do Futuro

escola do futuro

Esta escola foi inaugurada na Filadélfia em 2006, e o curioso é que essa escola não é nada convencional, principalmente porque seus alunos não utilizam nenhum tipo de material que não seja eletrônico.

Escola de Ensino Médio Milk Harvey

milk harvey

Esta instituição leva o nome do famoso ativista homossexual Harvey Milk e tem o intuito de abrigar lésbicas, gays, bissexuais e transexuais que tenham sido alvos de bullying e discriminação em outras escolas, mas não são somente essas pessoas que podem frequentar a escola, pelo contrário, a escola matricula qualquer um, independentemente de sua orientação sexual.

Escola primária Gulu

gulu

O único modo de chegar a essa pequena vila, na China, é através da Way Luoma, que possui diversas curvas alternadas, pontos frágeis e ainda passagens entre pedras tão estreitas que você tem de passar de lado. A escola fica escondida no meio das Montanhas e desde de sua fundação, no final dos anos 80, a escola já foi reformada devido ao seu estado deplorável pelo seu único e atual professor Shen Qijun.

Escola primária Abo

Abo

Esta estrutura foi criada pelo presidente Kennedy, como uma medida para se defender de uma possível guerra nuclear durante a Guerra Fria, hoje, o local virou uma escola subterrânea que possui apenas três entradas e possui ainda uma porta de segurança de 800 kg, além disso, a escola ainda conta com um parquinho em seu telhado.

Escolas flutuantes de Bangladesh

escolas flutuantes

Bangladesh possui um enorme problema que se repete duas vezes por ano: uma inundação que deixa milhões de pessoas sem água potável, eletricidade e muitas outras necessidades, incluindo as escolas, é por isso que a organização sem fins lucrativos, a Shidhulai Swarnirvar Sangstha construí casas, centros de saúde e até mesmo escolas flutuantes, resultando em cerca de 100 embarcações, cada uma movida a energia solar e equipada com um computador portátil, internet e uma biblioteca.