Hoje em dia é quase impossível encontrar algum brasileiro que não conheça o seriado mexicano “Chaves”.

Seu último capítulo foi exibido em 1992 e ainda hoje alguns canais latinos continuam transmitindo seus episódios, tirando sorrisos tanto de crianças quanto de adultos e isso se deve a magia do seu humor e o talento de seus artistas.

Mas apesar de todo seu charme e inocência, algumas pessoas dizem que esta série é cheia de ocultismo e mensagens subliminares.

Confira:

Roberto Gomez Bolano

Roberto Gomez Bolano

Este ator-escritor-diretor mexicano conhecido pelo apelido de “Chespirito”, ou “pequeno Shakespeare”, do México, foi o principal arquiteto da série mais bem sucedida de todos os tempos na América Latina e de acordo com algumas fontes usou este espaço para mandar mensagens e sinais que devem ser decodificados para revelar seu verdadeiro sentido. O primeiro e o mais importante é o título.

Inicialmente, a série se chamava “El Chavo del 8”, e ela nunca revelou o nome verdadeiro do seu personagem, todos o conheciam somete por Chaves (“El Chavo”), que significa “amaldiçoado”.

Chaves

Chaves

É muito comum as pessoas se perguntarem sobre aonde o chaves mora, tendo como resposta dentro de um barril. Na realidade, ele vivia na casa de numero 8 (revelado em um dos seus episódios). Ele é conhecido inicialmente por ser sem-teto e órfão, ele foi acolhido por uma senhora, que nunca apareceu no seriado e que talvez nunca tenha existido sendo talvez uma imaginação ou mentira do personagem.

Um ponto que você deve ter em mente é o número que foi escolhido para sua casa, o número “8”, ele está fortemente ligado à morte, pois ele representa o infinito, pelo simples fato de que não existe vida antes da vida e depois da vida tudo volta a seu estado anterior e o 8, se colocado na horizontal, representa o símbolo do infinito.

A vila do Chaves

A vila do Chaves

O principal local onde praticamente toda a trama se desenrola, a vila do Chaves seria na realidade um pedaço do inferno, pois, neste local, homens e mulheres são forçadas a suportar uns aos outros ao longo de suas existências, com acusações intermináveis e violência.

O ciclo repetitivo de violência

O ciclo repetitivo de violência

Tudo começa com Chiquinha e sua maldade e perseguição contra o Quico.

Aqui começa o problema, quando Quico conta para sua mãe (Dona Florinda), as maldades que Chiquinha faz com ele, ela fica cega de fúria e desconta tudo em Seu Madruga, ele por sua vez desconta toda sua fúria em Chaves, uma criança, e ele acaba descontando toda sua fúria mesmo que não intencionalmente no Senhor Barriga

O cenário

O ciclo repetitivo de violência

O lugar aonde a trama se desenrola é um lugar sombrio, que transmite uma mensagem de desespero e agonia.

O palco é um labirinto, sem centro, sem começo e sem fim. Fora do bairro, há uma rua estreita que leva a um parque, um restaurante e uma pequena sala de aula.

Variações, como Acapulco, são uma exceção. O universo de personagens é reduzido neste espaço claustrofóbico, onde um ambiente leva a outro que leva a outro que leva a seu início representando claramente o infiníto e a morte.

Uma das principais características de Chaves é ele sempre estar com fome, o que segundo religiosos representaria a “Gula”. Sua fraqueza por “sanduíches de presunto” denota seu desprezo pelas leis de Deus, que proíbe no antigo testamento o consumo de carne de porco, por considerar ele um animal sujo, relata alguns religiosos.

Seu Madruga

Seu Madruga

Outro personagem que cometeria um pecado grave é o Seu Madruga, que se esforça para não fazer nada representando a “Preguiça” .

Quico

Quico

Outro personagem de grande peso na série é o Quico, ele é conhecido por ser um menino invejoso e egoísta representando o pecado da inveja.

Um de seus prazeres é ver os outros sofrerem, um exemplo claro é quando ele come as coisas na frente de Chaves mesmo sabendo que ele está morrendo de fome.

Chiquinha

Chiquinha

Esta personagem é conhecida por sua maldade, intolerância e astúcia para criar problemas para os outros, representando o pecado da ira, outra característica dela é a forma como ela sempre tenta tirar vantagem sobre as outras pessoas não importa como.

Dona Florinda e Professor Girafales

Dona Florinda e Professor Girafales

Professor Girafales e Dona Florinda representam a luxúria, os dois amantes que, apesar dos seus desejos incontroláveis, jamais passam da tradicional xícara de café e dos incontáveis buquês, pois estão condenados a abstinência eterna. Aliás, o fato do professor Girafales sempre estar com seu charuto representa o cacoete dos amantes em fumar após a relação. Uma vez que o corpo não acompanha a mente, só resta ao pobre homem fumar e tomar café.

Dona Clotilde

Dona Clotilde

Dona Clotilde, a bruxa do 71, representa o pecado capital da vaidade. Bolaños teve a ideia de convidar uma ex-miss, a espanhola Angelines Fernández, para interpretar o personagem. Vale ressaltar o número que estaría guardando ela: 71 que seria 7+1=8, mais uma vez representando o infinito e a morte. O animal de estimação de Dona Clotilde, propositalmente chamado de Satanás, chama atenção para outro elemento importante. A presença de diversos demônios na vila. Ele seria uma besta transmorfa. Em alguns episódios satanás é um gato, em outros um cão.

Patronos

Patronos

Em 1589 o teólogo Peter Binsfeld, em seu livro “Binsfeld’s Classification of Demons”, escreveu que cada um dos sete pecados capitais possui um patrono infernal. Lúcifer, nome pelo qual muitos chamam de satanás, gera a vaidade. Os outros são Asmodeu que gera a luxúria, Belzebu a gula, Mammon a ganância, Belphegor a preguiça, Azazel a ira e Leviatã a inveja.

Se o gato-cão Lúcifer/Satanás ajuda a espalhar o boato de que Dona Clotilde é uma bruxa, parece ser óbvio que Paty e sua tia Glória são Belzebu e Belphegor metamorfoseados em súcubos, demônios sexuais femininos, prontos para atiçar outros apetites no Moleque e tirar Seu Madruga de seu estado de letargia. Por sua vez, o galã de novelas Hector Bonilla, que visitou a vila, nada mais é do que Asmodeu na forma de um íncubo, demônio sexual masculino, com a missão de tumultuar a relação do casal de libertinos castrados. Nhonho é Mammon, instigando o pai a gastar. Popis é Azazel, responsável por despertar a ira de Chiquinha com sua futilidade. Godinez seria Leviatã responsável por causar inveja em Quico. Figuras de pouca relevância como Dona Neves, Seu Furtado, os jogadores de ioiô, os alunos anônimos na escola, os clientes do restaurante, o pessoal do parque e do festival da boa vizinhança, além de outros coadjuvantes, são entidades demoníacas menores, com a função de criar a ilusão de normalidade.

Jaiminho

Jaiminho

O carteiro Jaiminho, é o único representante do bem dentro da vila. Um médium que estaria tentando fazer contato com a outra dimensão. Seu constante estado de fadiga é resultado do esforço sobre-humano necessário para acessar essa dimensão. A prova disso é quando Jaiminho descreve a sua terra natal, Tangamandápio. Se­gundo ele, tudo em Tangamandápio é gigante. A cidade seria maior do que Nova York e teria uma população de milhões de habitantes. Obviamente, ela não estaria se referindo a uma única cidade, mas sim ao planeta inteiro. As cartas que ele carrega são psicografias e a bicicleta seria uma espécie de totem necessário para que ele possa voltar para sua dimensão.

Vale lembrar que a história acima é apenas uma teoria, tendo como base apenas análises feitas por várias pessoas e algumas investigações. E você acredita? Deixe seu comentário.