Na Polônia, arqueólogos encontraram esqueletos que foram enterrados com a cabeça decapitada entre as pernas. A prática, afirmam os cientistas, era feita com pessoas consideradas vampiros. Foram encontrados 7 esqueletos de pessoas que foram sepultadas em um ritual que tinha como objetivo que não voltassem à vida. Seriam vampiros descobertos na Polônia? Siga adiante e veremos mais sobre isso!

O caso

A descoberta foi feita durante a construção de uma estrada perto da cidade de Gliwice, na Polônia, é onde arqueólogos costumam avistar restos mortais de soldados da Segunda Guerra Mundial. Só que ao invés de soldados, os túmulos encontrados possuíam esqueletos bizarros: suas cabeças foram decapitadas e estavam acopladas a suas pernas. Os arqueólogos falaram que, os corpos foram um objeto de execução ritual para ter a certeza que os defuntos realmente ficassem mortos.

ds

Realmente as pessoas da época tinham medo de vampiros, tanto que o antropólogo forense Matteo Borrini uma vez encontrou o corpo de uma mulher morta durante uma praga no século 16. Ela estava enterrada com um tijolo entalado em sua boca. Segundo Borrini, esse era uma maneira comum de impedir que os suspeitos vampiros voltassem a se alimentar do sangue dos humanos. Acusar uma pessoa de ser um vampiro era um modo relativamente comum de encontrar um bode expiatório para um desastre que “não podia ser explicado” durante a era cristã.

Veja neste vídeo uma reportagem que fala sobre tudo isso, fique ligado e não saia dai, porquê agora sim a coisa vai ficar realmente interessante sobre os esqueletos de vampiros. Veja!